RNPOLITICAEMDIA2012.BLOGSPOT.COM

RNPOLITICAEMDIA2012.BLOGSPOT.COM
RIO GRANDE DO NORTE

segunda-feira, 11 de julho de 2016

CACHOEIRA E DONO DA DELTA SÃO AUTORIZADOS A DEIXAR PRISÃO.

Carlinhos Cachoeira: desembargadora autorizou liberação, mas alvará de soltura ainda não foi entregue.

A desembargadora Nizete Lobato, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, autorizou hoje (10) a liberação dos empresários Fernando Cavendish, dono da Construtora Delta; o contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira; Marcelo Abbud e Cláudio Abreu, presos na Operação Saqueador, da Polícia Federal.
Segundo a assessoria de Cavendish, apesar da autorização, ainda não foi expedido o alvará de soltura. E não há previsão sobre o horário em que o empresário será liberado para cumprir prisão domiciliar.
A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que não recebeu nenhum documento e os quatro permanecem no presídio Pedrolino Werling de Oliveira, o Bangu 8, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio.
Conforme decisão do ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), tomada na sexta-feira (8), todos deveriam ser liberados, mas com o uso de tornozeleiras.
Com a falta do equipamento, que não está sendo fornecido pela empresa contratada, por falta de pagamento do governo do estado do Rio de Janeiro, eles permaneceram no presídio.
Agora, serão soltos, com a decisão da desembargadora, mas devem ser monitorados pela Polícia Federal.
A Operação Saqueador, da Polícia Federal, rastreia esquema de desvio de verbas públicas e lavagem de dinheiro, no valor de R$ 370 milhões.
De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), além dos principais acusados Fernando Cavendish e Carlinhos Cachoeira, foram denunciadas 21 pessoas, entre executivos, diretores, tesoureira e conselheiros da empreiteira e proprietários e contadores de empresas fantasmas, criadas por Carlinhos Cachoeira e os empresários Adir Assad e Marcelo Abbud.

Fonte: Agência Brasil/Exame
Foto: José Cruz/Agência Brasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTÁRIO SUJEITO A APROVAÇÃO DO MEDIADOR.