RNPOLITICAEMDIA2012.BLOGSPOT.COM

RNPOLITICAEMDIA2012.BLOGSPOT.COM
RIO GRANDE DO NORTE

segunda-feira, 17 de abril de 2017

ENTIDADES COBRAM SUSPEIÇÃO DE JUÍZA EM DENÚNCIA SOBRE PGJ.

Associações apontam vínculo entre magistrada e diretor da gestão cujo chefe é acusado de usar diárias para fins privados.

As associações de servidores do Ministério Público aguardam declaraçaõ de impedimento da juíza Divone Pinheiro, titular da 17ª Vara Cível de Natal e a quem foi distribuída a ação civil pública em que o procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis, é acusado de usar dinheiro público para fins privados.
Divone Pinheiro, explicam as associações, tem vínculo com um dos principais auxiliares do PGJ, o promotor Wendell Bethoven, que é uma espécie de diretor administrativo e jurídico do MPRN. A juíza e o promotor são casados.
“Acreditamos na isenção do Judiciário. Pensamos que a juíza deverá se declarar impedida não só pelo vínculo, mas, principalmente, para resguardar o processo”, declarou o secretário geral do Sindicato dos Servidores do Ministério Público do Rio Grande do Norte (Sindsemp), Aldo Clemente.
A assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça foi procurada para repercutir o caso. Até a publicação desta reportagem, eles ainda não tinham conseguido contato com a magistrada para repercutir a matéria. Na Vara da qual é titular, ninguém atendeu às chamadas.
Denúncia
Na ação civil pública impetrada na semana passada, a Associção Nacional dos Servidores do Ministério Público (Ansemp), a Federação Nacional dos Servidores dos Ministérios Públicos Estaduais (Fenamp) e o Sindicato dos Servidores do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte (Sindsemp) acusam o PGJ de utilizar diárias operacionais para fins privados.
A denúncia aponta que foram utilizados R$ 83.220,12, contabilizados entre 2015 e o início de 2017, enquanto Rinaldo esteve no exercício de atividades doo Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União, entidade de direito privado.
A assessoria de imprensa do Ministério Público do Rio Grande do Norte ainda não se manifestou sobre o assunto.

Fonte: Dinarte Assunção/Portal No Ar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTÁRIO SUJEITO A APROVAÇÃO DO MEDIADOR.